Gor

De Crônicas de Atlântida - Wiki

Gor é uma guilda, corporação ou sindicato formado pelos trabalhadores de um mesmo ofício em uma província ou grande cidade, com exceção das guildas rurais de agricultores, pescadores, pastores, silvicultores e mineradores, geralmente organizadas em escala municipal ou distrital.

A grande maioria dos trabalhadores livres de Atlântida é filiada a uma dessas organizações, que regulamentam preços e salários, asseguram o bem-estar dos órfãos, doentes e aposentados e os cultos específicos à guilda defendem os interesses da categoria junto ao Estado e a seus clientes. As guildas de comerciantes e artesãos são mais prestigiadas e limitam o número de integrantes e negócios por meio do controle e distribuição de cartas-patente. Entretanto, as guildas de atividades sob autoridade direta do governo imperial - principalmente bancos, comércio exterior, navegação de alto mar, alquimia e tecnomagia - possuem pouca autonomia: seus dirigentes são nomeados pelos ministérios apropriados, que também administram as concessões.

O prestígio das guildas varia conforme a profissão, mas mesmo as mais modestas garantem, no mínimo, o estatuto de binciós a seus membros juniores ("meio-oficiais", após um tempo como aprendiz), de keciós a um membro pleno ("oficial") e de quanciós a um mestre do ofício. Entre as corporações mais numerosas da cidade de Atlântis, cada uma delas com duzentos mil integrantes ou mais, encontram-se as dos portuários (Ga'an Gor), a dos gondoleiros (Setsiu'an Gor), a das prostitutas (Dloke Gor) e a dos mensageiros (Zon'an Gor).

Não é proibido exercer um ofício fora de uma guilda, mas quem o faz deve se sujeitar a receber pagamento inferior ao de um aprendiz da corporação e não pode contar com a proteção desta, além de seu serviço ser considerado muito inferior. Além disso, não pode trabalhar nos espaços (lojas, docas, mercados, consultórios, bordéis etc.) administrados pela guilda. Na prática, além dos integrantes do governo e das forças armadas, trabalham fora das guildas apenas biscateiros sem qualificação e quase marginais, ou pessoas que necessitam de algum complemento de renda além de seus ganhos normais como trabalhador ativo ou pensionista. Esse tipo de trabalho é chamado kemkuh (trabalho ocasional ou irregular) em contraste com gorkuh (trabalho profissional, dentro da guilda).