Mugais

De Crônicas de Atlântida - Wiki
Hakama.jpg

Os mugais são o povo do qual se origina a língua mugal. Em outros tempos, possuíram um grande império que dominou o extremo oriente, mas na maioria foram conquistados pelo Império de Agarta, que os reduziu à escravidão. Restam um pequeno reino mugal independente no extremo Norte e comunidades de emigrados de origem mugal no Império Atlante, como o bairro de Dzezyo, na capital.

Tipo físico e estereótipos

Pelos padrões de Kishar, os mugais tendem a ser de estatura média a baixa. A pele é clara, os cabelos muito lisos e negros, os olhos pequenos, com dobra epicântica, nariz e boca geralmente pequenos. Entre os atlantes, têm a reputação de serem religiosos, serenos, educados e reservados, o que está relacionado tanto à rigidez de suas normas protocolares tradicionais quanto à consciência de serem um povo perseguido e ameaçado, que receia provocar os senhores da terra onde se refugiaram.

Costumes

Os mugais são um povo de tradição patrilinear. Usam o nome do clã do pai, seguido pelo nome pessoal, como em Maav Tjurmyen (Tjurmyen do clã Maav). Tradicionalmente, é também um povo patriarcal, entre os quais as mulheres são normalmente submissas ao pai e ao marido. É permitido a um homem ter mais de uma esposa, mas entre os mugais que vivem sob domínio agartiano, reduzidos à pobreza, esse é um costume quase abandonado.

Os homens vestem-se com túnicas curtas e calças largas, de algodão ou de seda. As mulheres, geralmente com túnicas longas até os pés, fechadas com uma faixa larga. Ambos os sexos usam sandálias.