Nuciós

De Crônicas de Atlântida - Wiki
(Redirecionado de Nu)
Coleiraprata.jpg

Nuciós é um estatuto servil com relativa dignidade. Essa condição pode resultar das seguintes situações:

  • rebaixamento negociado de um atlante livre e relativamente qualificado por não conseguir pagar suas dívidas;
  • venda condicional de um menor relativamente qualificado (nem que seja pela beleza) pelos pais ou responsáveis antes de atingir a maioridade;
  • venda ou doação parcial voluntária de si mesmo, geralmente em busca de segurança e proteção de algum poderoso ou como devoção a um culto ou templo;
  • promoção de rarciós (escravos propriamente ditos) a título de alforria parcial ou recompensa, geralmente para assumir uma função de maior responsabilidade junto a seus amos;
  • nascer de mãe nuciós.

Cerca de 4% da população de Atlântida (8% na capital) estão sob esse estatuto, representado por uma coleira de prata ao pescoço.

Para se possuir um nuciós, é preciso ter estatuto de corrente-de-prata ou superior. Um nuciós está a serviço do seu senhor por tempo integral, não pode deixar suas propriedades sem permissão e não tem direito a outra remuneração além de alojamento, roupas e alimentação adequados à sua função e respeitabilidade, mas não pode ser submetido a castigos cruéis ou indignidades, nem forçado a executar serviços alheios à sua qualificação. Apesar das obrigações para com seu senhor, mantém seu nome e personalidade legais. Pode ser degradado a rarciós (escravo) se tentar fugir ou cometer uma ofensa grave ao senhor ou à sua família, mas apenas com ordem de um juiz.

Se o nuciós não for um servo-concubino ou serva-concubina, tem direito a se casar (em geral com outro servo do mesmo senhor, raramente com um serviçal livre) e criar seus filhos até a maioridade. Se vendeu a si mesmo, pode reter o produto da própria venda ou dispor dele como quiser. Pode possuir bens (mas não seus próprios servos e escravos, mesmo que tenha dinheiro para comprá-los) e frequentemente recebe algum pagamento de seu senhor a título de incentivo ou para atender a necessidades menos essenciais, mas não pode vender serviços a terceiros sem sua permissão. Eventualmente, pode negociar a própria liberdade, ou de sua família.

As crianças não são obrigadas a trabalhar antes dos sete anos e devem receber quatro anos de educação; caso mostrem aptidão acima da média, podem ser alforriadas pelo Estado, que indeniza seu senhor.

Mulheres grávidas devem ser poupadas de trabalhos excessivos e têm o direito de amamentar seus filhos. Um senhor pode ser judicialmente obrigado a vender servos ou escravos (ou, se preferir, alforriá-los) caso abuse de suas prerrogativas. Em geral, um senhor pode alforriar seus nuciós a qualquer momento enquanto forem jovens e saudáveis, mas se não o fizer, responde por seu sustento na doença e na velhice.

Nuciós são tipicamente serviçais qualificados, tais como guardas pessoais, caseiros, lacaios, mordomos, governantas, cozinheiros, concubinos ou concubinas de categoria superior e cuidadores de crianças. Podem ser dados ou vendidos, mas apenas junto com pais, cônjuge e filhos, se tiverem famílias. Devido às limitações do poder do senhor sobre os nuciós, estes costumam valer no mercado a metade de um rarciós ou varciós com as mesmas qualificações, mas poucos senhores confiariam em rarciós para serviços que exijam responsabilidade ou confiança. Em geral, um nuciós vale o equivalente a três anos ou mil dias de salário de um cidadão livre que faça o mesmo serviço.

Como forma de proteção ao artesão e camponês livre, a lei atlante geralmente não permite ao senhor alugar os serviços de nuciós a terceiros ou vender o produto do seu trabalho: este precisa ser inteiramente consumido pela família do senhor, ou presenteado a amigos e favoritos.

Ver também

Hierarquia civil