Qualsog

De Crônicas de Atlântida - Wiki
Duelo senzar em Atlântis

Qualsog ou esgrima é considerado em Atlântida como o mais nobre dos esportes e suas competições atraem platéias respeitáveis. Os esgrimistas como outros esportistas atlantes, competem em público com pouca ou nenhuma roupa, embora geralmente treinem com roupas acolchoadas. A espada usada nos combates esportivos, chamada soqual, é semelhante ao sabre militar e de duelo conhecido como quantal, mas é feita de madeira e não tem gume.

Combates sangrentos de gladiadores não são comuns. Assim como outros espetáculos sádicos, são desempenhados por não-pessoas ou varciós e existem em bairros mal-afamados de Atlântis e outras grandes cidades do Império Atlante, mas ocorrem em pequenas arenas ou ginásios fechados, cujo ingresso é caro e são apreciados apenas por um número pequeno de pessoas, ricas e depravadas.

Um caso especial, porém, é o duelo senzar, que costuma ser realizado em público. Na capital, o duelo é uma tradição um tanto arcaica e em vias de extinção, mas quando acontece – frequentemente envolvendo pessoas de estatuto elevado e conhecidas do público – atrai uma grande multidão. Dependendo da importância das pessoas envolvidas, pode ser realizado em grandes estádios.

Entre os atlantes da capital, recusar o desafio para um duelo nem sempre é desonroso, principalmente se o desafiante é evidentemente superior em combate ou não tem razão aos olhos do público. Uma vez aceito o desafio, porém, é preciso ir até a morte ou rendição de um dos oponentes. É desonroso para o vitorioso não aceitar uma rendição que lhe for oferecida, mas o derrotado deve se submeter e aceitar tornar-se servo (nuciós) do vitorioso, se este o exigir – não, porém, escravo.