Tiakat

De Crônicas de Atlântida - Wiki
Tiakat (arte de Fernando Salvaterra)

Nenet Tonalnan Tiakat (de tiakat, "bambu" ou "taquara" em tlavatli), no início de 2702 dFA é uma jovem keciós tlavatli. Filha de Nenet Tepin com pai desconhecido e sobrinha de Nenet Tsolin. Ao contrário da maioria dos tlavatlis, tem dois sobrenomes: Nenet, da mãe e Tonalnan, da mestra xamã Kopinani, que a adotou legalmente como sobrinha. Mora na pilpokali de Tochiwayo e divide sua esteira com dois amantes regulares e noivos em potencial, Olin e Witilin, num relacionamento muito aberto.

Aprendiz de xamã de Raltlor, que trabalha com a mestra Kopinani, detém um maiores talentos para a magia já vistos em sua terra. Tem uma relação especialmente forte e íntima com a deusa Chiuknawat, que costuma incorporar nos rituais religiosos de seu povo. É hábil no ikximait, arte marcial tradicional de seu povo que aperfeiçoou dando um tratamento mágico a seu varapau.

Negra retinta, alta, flexível, ágil e muito magra, tem cabelo negro e encarapinhado. Escandalosa, sarcástica, espontânea, passional e irreverente, gosta de parecer menos ajuizada do que realmente é e deixar a língua solta. Depois da magia, seus maiores interesses são sexo e amizades, juntos ou separados. Apesar de não ser particularmente bonita, é uma bissexual simpática e atrevida que já teve muitos amantes, rapazes e moças e se orgulha de jamais ter recorrido à magia para seduzir os parceiros ou parceiras que desejou - coisa comum entre magos, apesar de considerada antiética.

Um de seus apelidos de infância, dado por Sistu, é Lelon, que significa unicórnio negro (lon) fêmea em senzar.

{{Revelações sobre o enredo}} Quando Sistu decide ir embora de Raltlor, Tiakat vai com ele para Atlântis como sua namorada e é aceita como prestadora de serviços no Instituto de Kisharografia e História. Ali se apaixona pela barda Tjurmyen, sem deixar de querer Sistu. Quando Sistu decide libertar os dracos aprisionados em suas espadas, a deusa Chiuknawat, com seus poderes ampliados, pede a Tiakat para ser sua portadora no mundo corpóreo. A aliança faz de Tiakat um ser híbrido que combina habilidades divinas e humanas e uma força decisiva na revolução contra Odu Arpá. Depois da vitória, Tiakat casa-se com Sistu e Tjurmyen. Tem três filhos com Sistu - Tekuani, Peyot e Pakki - e dois filhos com osquores (elementais), que se chamam Akaxoch e Temazat e é madrinha de todos os filhos de Tjurmyen e de várias outras crianças da família. {{Fim das revelações sobre o enredo}}.