Zaleté

De Crônicas de Atlântida - Wiki
(Redirecionado de Azaes)
Zaleté
Zalete.gif
Também conhecido como:
Azaes
População:
15.000.000 habitantes
Área:
320.000 km²
Grupos étnicos:
tlavatlis (60%), senzares (35%) e caris (5%).
Capital:
Zaled
População da capital:
500.000 habitantes


Zalete.jpg

Zaleté (Zal'etté, na grafia própria), Azaes em acaio, é um reino conturbado, onde o rei, os nobres, os sacerdotes, os mercadores e o povo comum dividem e disputam continuamente o poder, sem que qualquer dos partidos obtenha uma hegemonia duradoura. Golpes, contragolpes e revoluções são comuns. Formalmente, a monarquia tem sido preservada, pois afastar o rei pela força daria ao Vatar o pretexto que procura há muito tempo para intervir e impor um governo estável a esse satélite rico e importante, mas turbulento. Entretanto, muitos reis de Zaleté já foram forçados a abdicar em benefício de algum outro membro da família real que esteja mais afinado com o partido que no momento esteja em ascensão.

O que há de mais estável em Zaleté é a administração colonial dos vice-reinos de Tlapalan e Tamoanchan: evita-se ao máximo que as turbulências políticas da capital perturbem a coleta dos tributos e a exploração de suas riquezas. O cargo de vice-rei de Tlapalan é mais importante, na prática, que o do próprio rei e é o mais disputado pelos partidos em luta.

O povo é rebelde, aventureiro, individualista e independente, amante da música e da dança.

O território é fértil, montanhoso, chuvoso e vulcânico, ainda parcialmente ocupado por densas florestas tropicais. Pertence ao reino a ilha de Gopá, ainda relativamente selvagem, que representa a metade do território e um terço da população, notável pela fauna tropical, principalmente pelos seus unicórnios. Seu território é plano e em boa parte ocupado por savanas, com uma área de densa floresta tropical úmida a sudoeste.

O exército é formado por trinta zemens turbulentas e indisciplinadas, freqüentemente envolvidas em golpes de Estado e lutas internas, que muitas vezes decidem o comando das próprias zemens e mesmo de unidades menores. São consideradas as piores tropas do Império Atlante. A marinha possui duzentos navios, incluindo uréns e sabréns.