Mudanças entre as edições de "Fomoris"

De Crônicas de Atlântida - Wiki
 
Linha 1: Linha 1:
 
[[Imagem:Fomoris2.jpg|right|400px|]]
 
[[Imagem:Fomoris2.jpg|right|400px|]]
Os '''fomoris''' são o povo do qual se origina a maior parte da população de [[Alguanté]], de [[Tamana]] e das regiões mais ocidentais de Tuté, bem como a língua [[fomori]].  
+
Os '''fomoris''' são o povo do qual se origina a maior parte da população de [[Alguanté]], de [[Tamana]] e das regiões mais ocidentais de Tuté, bem como a língua [[fomori]]. Os [[acaios]] os chamam de ''pelasgoi'', "povos do mar", por constituírem a maior parte das populações com as quais têm contato mais próximo por mar.
  
 
== Tipo físico e estereótipos ==
 
== Tipo físico e estereótipos ==

Edição atual tal como às 21h06min de 1 de janeiro de 2016

Fomoris2.jpg

Os fomoris são o povo do qual se origina a maior parte da população de Alguanté, de Tamana e das regiões mais ocidentais de Tuté, bem como a língua fomori. Os acaios os chamam de pelasgoi, "povos do mar", por constituírem a maior parte das populações com as quais têm contato mais próximo por mar.

Tipo físico e estereótipos

Os fomoris são de pele relativamente clara e cabelos crespos ou ondulados, como os caris, mas costumam ser de estatura menor, média pelos padrões de Kishar. Costumam ser vistos como independentes, práticos e trabalhadores.


Cultura

Assim como os tlavatlis, os fomoris têm uma estrutura familiar matrilinear e flexível. Usam o nome pessoal seguido pelo sobrenome da mãe. Assim como os senzares, limitam o casamento a três parceiros.

São particularmente adeptos da dança com touros, na qual os atletas mostram sua habilidade fazendo acrobacias sobre o dorso de touros ou de outros animais.

Quanto a vestuário, os homens fomoris preferem usar calções e mocassins, enquanto as mulheres freqüentemente usam saias longas e coloridas, junto com corseletes que exibem os seios.

A arquitetura das moradias tende a ser leve, espaçosa e arejada, mais confortável do que imponente e com decoração leve e colorida.

Já os templos costumam ser subterrâneos: construções aparentemente modestas e simbólicas na superfície dão acesso a vastas galerias e catacumbas especialmente construídas ou a cavernas naturais aproveitadas e adaptadas para o culto dos deuses e outros rituais fomoris. Frequentemente têm diferentes níveis, associados a diferentes graus de iniciação, cada vez mais "profundos".