Mudanças entre as edições de "Moam"

De Crônicas de Atlântida - Wiki
 
Linha 1: Linha 1:
[[Imagem:Moam.png|right|400px|Moam com Sistu menino. Arte de Mariana Lopes Fogo]]
+
[[Imagem:Moam.png|thumb|right|400px|Moam com Sistu menino. Arte de Mariana Lopes Fogo]]
 
'''Zi Temtés Moam''' (de ''mo'', "saber" e ''am'', "sombra", "sombra do saber" em [[senzar]]) foi um [[zeciós]] [[senzares|senzar]] de [[Raltlor]], sobrinho de [[Jariô]] e irmão de [[Sannó]], que combateu pelo [[Exército atlante]] como [[senzé]], no posto de [[xibastô]] de sua [[zebás]]. Foi ferido mortalmente em uma batalha na fronteira de [[Duaraka]] e [[Bárata]] e morreu durante a noite desse dia, recebendo honras de herói e promoção póstuma ao estatuto de [[hinciós]]. Sua família em [[Raltlor]] foi indenizada pelo [[Império Atlante|Império]] com uma rica gleba de terra, excelente para a produção de uvas viníferas. Com sua morte, seu sobrinho [[Sistu]] passou ao [[poder avuncular]] de [[Jariô]].
 
'''Zi Temtés Moam''' (de ''mo'', "saber" e ''am'', "sombra", "sombra do saber" em [[senzar]]) foi um [[zeciós]] [[senzares|senzar]] de [[Raltlor]], sobrinho de [[Jariô]] e irmão de [[Sannó]], que combateu pelo [[Exército atlante]] como [[senzé]], no posto de [[xibastô]] de sua [[zebás]]. Foi ferido mortalmente em uma batalha na fronteira de [[Duaraka]] e [[Bárata]] e morreu durante a noite desse dia, recebendo honras de herói e promoção póstuma ao estatuto de [[hinciós]]. Sua família em [[Raltlor]] foi indenizada pelo [[Império Atlante|Império]] com uma rica gleba de terra, excelente para a produção de uvas viníferas. Com sua morte, seu sobrinho [[Sistu]] passou ao [[poder avuncular]] de [[Jariô]].
  
 
[[Categoria: Personagens]]
 
[[Categoria: Personagens]]

Edição atual tal como às 00h52min de 24 de março de 2016

Moam com Sistu menino. Arte de Mariana Lopes Fogo

Zi Temtés Moam (de mo, "saber" e am, "sombra", "sombra do saber" em senzar) foi um zeciós senzar de Raltlor, sobrinho de Jariô e irmão de Sannó, que combateu pelo Exército atlante como senzé, no posto de xibastô de sua zebás. Foi ferido mortalmente em uma batalha na fronteira de Duaraka e Bárata e morreu durante a noite desse dia, recebendo honras de herói e promoção póstuma ao estatuto de hinciós. Sua família em Raltlor foi indenizada pelo Império com uma rica gleba de terra, excelente para a produção de uvas viníferas. Com sua morte, seu sobrinho Sistu passou ao poder avuncular de Jariô.