Udiá

De Crônicas de Atlântida - Wiki
Erakal.gif

Udiá, magia marcial ou belomagia é um estilo de magia que lida principalmente com técnicas mágicas de combate e é conhecido em Atlântida como escola Erakal de magia. Seus praticantes são chamados udia'an, o que pode ser traduzido como "belomago" ou "mago marcial". Esse estilo é mais eficiente para magias diretamente relacionadas a combate, violência e perigo. Ampliação mágica da força, da velocidade e da resistência física são as formas mais básicas, bem como o "corpo fechado", que torna o guerreiro quase inatingível. Percepção e precognição de perigo imediato também são usuais.

Em níveis mais avançados, pode gerar escudos de força mágicos, golpes telecinéticos, bolas de fogo e outras projeções de energia capazes de atingir inimigos distantes, bem como magias mais sutis, que permitem matar ou desacordar um guerreiro com um simples toque.

Os rituais que se baseiam neste estilo de magia normalmente usam movimentos típicos de artes marciais. O mago em estilo Erakal que prepara um encantamento se porta como um praticante de Tai Chi Chuan, executando movimentos lentos, graciosos e coordenados. A arte marcial mais usada para essa finalidade pelos atlantes é o derkesgon e, pelos agarthianos, o vagramaga.

O receptáculo mais comum desses encantamentos é o próprio corpo do operador, mas encantar armas também é comum. Todo tipo de arma que usa a força humana é adequado, incluindo facas, espadas, chakras, machados, porretes, arcos, fundas etc. Armas que usam mecanismos e reações complexas – tais como bestas, armas de fogo e armas de raios – não podem ser encantadas.

Também são suportes adequados para encantamentos efetuados com esse estilo as substâncias a ele associadas – partes de animais e plantas, pedras etc.

As qualidades do estilo Erakal se exprimem em valor, intrepidez e valentia e na adesão a um código de honra guerreiro. Astúcia e prudência são virtudes do guerreiro, mas atos de covardia prejudicam seriamente não só sua honra, como também sua habilidade .