Xifu

De Crônicas de Atlântida - Wiki
Revisão de 23h09min de 17 de fevereiro de 2016 por Ictoon (discussão | contribs) (Nova página: '''Xifu''' (literalmente ''vice-pai'', em senzar) ou '''padrinho''' é um homem que assume formalmente o papel de principal auxiliar e substituto preferencial do pai no cuidado e ...)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

Xifu (literalmente vice-pai, em senzar) ou padrinho é um homem que assume formalmente o papel de principal auxiliar e substituto preferencial do pai no cuidado e criação de uma determinada criança. Esse papel, considerado muito honroso, é assumido em uma cerimônia especial que é independente de cerimônias do nome, da nomeação da madrinha ou ximu e de outros ritos de passagem da criança.

O padrinho é quem preferencialmente cuida da criança no caso de ausência temporária do pai e se este morre ou sofre outro impedimento permanente, torna-se automaticamente o pai adotivo, mesmo que a criança tenha parentes mais próximos. Cabe-lhe então escolher seu próprio xifu. Os demais parentes continuam a desempenhar seus papéis.

Na cultura dos senzares, a escolha de um padrinho cabe apenas ao pai, que pode escolher um irmão, primo ou amigo que considere adequado para se responsabilizar pelo filho. O xifu tem por tradição a possibilidade de fazer sexo com a mãe da criança e não pode ser um irmão ou outro parente da mãe cuja relação com ela pudesse configurar incesto. Costumes muito semelhantes existem entre tlavatlis e fomoris. A escolha pode ser anunciada a partir da gravidez, mas a festa de confirmação costuma acontecer na época em que a criança começa a comer alimentos sólidos.

Os irmãos do pai são considerados tlafu, pais-auxiliares. Na falta do pai e de xifu, o tlafu mais velho assume o papel.

Entre os mugais, a prática existe (como também a de nomear madrinhas) mas é menos importante e não tem quaisquer implicações sexuais.