Página principal

Ralrod

De Wiki - Crônicas de Atlântida

Ralrod, literalmente "lei antiga" é o conjunto das leis, religião e culto dos senzares no tempo do antigo Império Senzar, principalmente em sua época de ouro, a era da dinastia Guar, fundada por Quargad. Foi tradicionalmente apresentada como pura restauração da Terod fragmentada pela decadência dos antigos costumes e pelas guerras internas, mas após sua queda passou a ser vista criticamente como resultado de uma centralização do poder e formalização da lei que não tinha precedentes. Os clãs, que antes tinham suas próprias terras, leis, tribunais e costumes, foram submetidos à autoridade do Estado, que passou a ditar leis válidas para todos e controlar a administração da justiça e a distribuição dos recursos, sem exceções abertas arbitrariamente por chefes e sacerdotes locais.

Os costumes eram mais austeros que os atualmente vigentes no Império Atlante. O dinheiro e o comércio eram desconhecidos: as comunidades rurais eram praticamente autossuficientes, limitando-se a pagar tributo em espécie para o Estado e o culto religioso, que sustentavam as cidades. Artesãos trabalhavam para a comunidade ou para o Estado, que tinham a seu cargo o sustento dos órfãos, idosos e doentes. O comércio exterior era praticamente inexistente. Os não-senzares e seus costumes eram vistos com desprezo e a língua senzar ainda não havia absorvido caracteres e termos do cari e de outras línguas estrangeiras. A religião era centrada nos chamados deuses da humanidade, liderados por Dotlás e Karmó e o culto de deuses estrangeiros era proibido. O papel dos clãs foi diminuído, embora continuassem a ter importância simbólica e cultural. As leis tradicionais quanto ao casamento - obrigatoriedade do casamento entre famílias diferentes de um mesmo clã - eram rigidamente seguidas. A herança de nomes e a autoridade familiar eram matrilineares e os papéis de homens e mulheres eram rigidamente definidos, embora de maneira a garantir um equilíbrio de direitos e deveres entre os dois sexos.

Enquanto a Ralrod continuava vigente no continente, os senzares de Rutá, principalmente os de Atlântida, criaram uma cultura mais plural, sincrética e aberta, influenciada pela herança cultural dos caris e dos tlavatlis e dengus que também habitavam a ilha. Esse novo conjunto de leis e crenças era chamado algo pejorativamente de Zanrod ("nova lei", quando "novidade" era algo geralmente considerado negativo), mas acabou por se impor com o crescimento do poderio dos atlantes e de seus deuses supremos, Varjá e Muxan. Os deuses da Ralrod, ao ver que a derrota a longo prazo seria inevitável, preferiram aceitar uma aliança relativamente vantajosa, integrando-se no culto da Zanrod, ainda que a contragosto.

A Ralrod deixou de ser lei obrigatória, mas muitos continuam a segui-la na medida em que isso não entra em conflito com a ordem imperial, rejeitando costumes estrangeiros e casamentos com outras etnias, valorizando a carreira pública e militar e afetando desprezo pelo dinheiro e pelo comércio. Em Atlântida, essa é uma característica dos clãs mais tradicionalistas do interior, principalmente os que tiveram um papel importante ou dominante no antigo Império (clãs Zi, Quar, Riô e Guar) e dos seguidores mais estritos dos deuses da humanidade, principalmente Karmó e Dotlás. A nostalgia pela Ralrod é mais generalizada nas comunidades conservadoras e quase que puramente senzares do reino de Enté e no interior dos vice-reinos de Muté e Tersenté.

Ferramentas pessoais
TOOLBOX
LANGUAGES
Acessos