Ralcianismo

De Crônicas de Atlântida - Wiki

Ralcianismo (em senzar Taurod, para seus seguidores, ou Cirod, termo ligeiramente pejorativo usado pelos não-crentes) é uma religião ascética cuja sede é o reino federado interiorano de Minté ou Mnéseas e tem adeptos esparsos por várias partes do Império Atlante. Seus livros sagrados teriam sido ditados por Ralci, deus senzar da correção e do equilíbrio, depois que este rompeu com o pai Raan e se uniu a Tliné. Seus seguidores, vencidos por Raan e expulsos de Tolan ao recusarem a submissão, refugiaram-se do outro lado do mar, nas montanhas da ilha de Rutá, onde permanecem apesar de muitos episódios de conflito e opressão.

O ralcianismo relega a segundo plano o culto tradicional dos deuses e prega uma rígida disciplina mística e filosófica. Seus adeptos devem ser vegetarianos, abstêmios, não usar drogas e praticar a moderação em todos os aspectos. Sacerdotes e praticantes mais dedicados vivem em monastérios, sob regras ainda mais estritas, podendo incluir votos de silêncio e castidade. Em Atlântida, é uma religião minoritária, tolerada, mas vista como "estrangeira", embora também tenha muitos adeptos entre descendentes de atlantes de longa data.