Sacrifício

De Crônicas de Atlântida - Wiki

Sacrifício (em senzar, hih) é uma oferenda a uma divindade, que pode ser realizada de diferentes maneiras conforme a intenção dos sacrificantes e a natureza da divindade em questão.

  • imolação ou odhih, morte sacrificial ritual de um ser vivo, é tradicional entre algumas das divindades mais arcaicas.
  • sacrifício humano ou gihih é a imolação de uma pessoa humana ou de outra espécie considerada possuidora de "alma", como um soan, mas só tem valor enquanto tal aos olhos dos deuses (e só é permitido pela lei de Atlântida) se a vítima for voluntária. Mesmo para os deuses mais sanguinários, um sacrifício humano involuntário é considerado de valor inferior ao de um sacrifício animal. O sacrifício de recém-nascidos gravemente deformados ou nascidos de incesto, comum entre os senzares, não é considerado gihih, nem o de varciós.
  • sacrifício de vida ou zãhih é a autoconsagração por toda a vida ao amor e culto de um deus ou deusa. Para as divindades novas é o equivalente em valor ao sacrifício humano das divindades mais tradicionais.
  • sacrifício de coleira ou rinhih é a libertação incondicional de um cativo em honra a uma divindade. É o sacrifício preferido e característico da deusa Chiuknawat.
  • sacrifício artístico ou ahrhih é a oferta de alimentos, flores, obras de arte, poemas, canções, danças, incensos e perfumes preparados especialmente em honra à divindade.
  • sacrifício sexual ou dlauhih, relação sexual ritual em oferenda a uma divindade, é uma prática comum a divindades tanto arcaicas quanto novas que estejam relacionadas ao amor e à fertilidade.
  • sacrifício atlético ou soghih é a oferta a uma divindade de feitos atléticos e esportivos, frequentemente arriscados.
  • sacrifício de serviço ou kuhhih é a oferta gratuita à divindade e seu culto de algum tipo de serviço, incluindo reparos e faxina do templo e tarefas auxiliares do culto.
  • sacrifício de possessão ou hohhih é o oferecimento do próprio corpo para que a divindade se manifeste aos devotos em atos ou palavras.
  • sacrifício de riqueza ou ruhih é a oferenda de dinheiro ou bens ao culto ou ao templo.
  • sacrifício de imagem ou emhih é a oferenda à divindade de uma imagem do devoto, como símbolo de sua devoção.
  • sacrifício da regra ou rodhih é a prática temporária ou definitiva de certas regras de vida: fazer certas coisas e deixar de fazer outras em honra da divindade.
  • sacrifício negativo ou padhih é a renúncia temporária ou definitiva a algum comportamento em honra da divindade. Inclui jejum, abstinência sexual ou de certos alimentos e bebidas.

O sacrifício implica a doação de certa quantidade de ih à divindade, maior ou menor conforme o tipo. A oferenda deve ter o espírito de uma doação incondicional de amor para ter valor, embora os sacrificantes esperem da divindade que seja comovida por suas demonstrações de afeição e use seu ih quando o adepto ou sua comunidade necessitem de sua ajuda.

A participação de sacerdotes de guilda (gorsin) só é obrigatória nos sacrifícios de caráter comunitário, realizados especialmente nas festas e celebrações dos deuses. Sacrifícios de devoção pessoal ou familiar, que são comuns, podem ser efetuados diretamente pelos devotos, embora sacerdotes sejam frequentemente solicitados para orientá-los e lhes dar maior brilho e valor.