Templo

De Crônicas de Atlântida - Wiki

Templo, em senzar , é qualquer construção destinada ao culto de uma divindade, incluindo pirâmides ou torres (tlor), santuários para símbolos, relíquias ou imagens de deuses (sanló), casas de sacerdotes (sinló), escolas sagradas (sanhau), albergues para devotos e peregrinos (genló) e monastérios (rodló). Frequentemente, construções contíguas ou próximas dedicadas a um deus ou a um grupo de deuses associados formam complexos administrados em conjunto, propriamente cetá, mas também conhecidos informalmente como .

Cada distrito de Atlântida tem pelo menos um templo, às vezes mais. Em Atlântis são cerca de três mil, mantidos por 25 mil sacerdotes (inclusive cerca de 5 mil possin consagrados, com estatuto de posciós de suas divindades), 75 mil acólitos e cem mil servos e auxiliares, organizados em cerca de vinte cultos tradicionais (sangor) senzares, mais o culto do ralcianismo e dezenas de cultos de tlavatlis, caris, fomoris, dengus, acaios, ofirianos e mugais. Os dois templos mais importantes são o Templo de Varjá, para a aristocracia da Cidade Proibida e o Templo Tricolor, para o povo da Cidade Exterior. Um pequeno templo distrital tem tipicamente dois a quatro sacerdotes plenos, seis a oito acólitos e dez servos e auxiliares, enquanto o Templo Tricolor ocupa mais de mil sacerdotes plenos, cinco mil acólitos e seis mil servidores.

As sanló, vistas como os corações dos complexos rituais, costumam ser construídas no alto de torres ou pirâmides, ou pelo menos elevadas sobre sólidas plataformas de pedra de modo que o acesso exija subir certo número de degraus. São geralmente consagradas a um par ou trio de divindades e aos gênios que as servem, mas em geral se permitem cultos, sacrifícios e devoções a quaisquer entidades que não sejam inimigas das padroeiras, principalmente nas pequenas cidades e aldeias onde há um só ou poucos templos. Uma característica dos templos senzares tradicionais é a presença de estátuas ou máscaras votivas de fiéis dispostas ao redor da imagem da divindade ou nas paredes da nave principal para representar sua constante devoção. Além de oferecê-las, os devotos pagam uma quantia anual para que sejam ali mantidas, o que frequentemente é a principal fonte de receita do templo e de seus sacerdotes.