Mudanças entre as edições de "Bárria"

De Crônicas de Atlântida - Wiki
 
(8 revisões intermediárias pelo mesmo usuário não estão sendo mostradas)
Linha 1: Linha 1:
 +
[[Imagem:Barria3.jpg|left|300px]]
 
{{Reinos|
 
{{Reinos|
 +
| bandeira        = Barria.gif
 
| nome            = Bárria
 
| nome            = Bárria
 
| outro_nome      = -
 
| outro_nome      = -
Linha 10: Linha 12:
  
 
O coração do território é desértico e arenoso, mas as costas são férteis. As matas de Bárria contêm muitas espécies de plantas úteis na produção de resinas, perfumes, incenso e medicamentos e seu solo é rico em metais preciosos.
 
O coração do território é desértico e arenoso, mas as costas são férteis. As matas de Bárria contêm muitas espécies de plantas úteis na produção de resinas, perfumes, incenso e medicamentos e seu solo é rico em metais preciosos.
 +
 +
A religião é baseada no culto de [[Tehuti]], o deus da luz.
  
 
Os barrianos têm uma respeitável marinha mercante e guerreira, capaz de disputar aos atlantes a hegemonia sobre o mar da Lemúria. Possuem muitos entrepostos, feitorias e pequenas colônias no litoral de [[Masté]] oriental e de [[Lemté]] e detém um quase monopólio do comércio entre essas regiões e o resto do mundo.
 
Os barrianos têm uma respeitável marinha mercante e guerreira, capaz de disputar aos atlantes a hegemonia sobre o mar da Lemúria. Possuem muitos entrepostos, feitorias e pequenas colônias no litoral de [[Masté]] oriental e de [[Lemté]] e detém um quase monopólio do comércio entre essas regiões e o resto do mundo.
  
 
[[Categoria: Kisharografia]]
 
[[Categoria: Kisharografia]]

Edição atual tal como às 21h31min de 1 de junho de 2010

Barria3.jpg
Bárria
Barria.gif
Também conhecido como:
-
População:
15.000.000 habitantes
Área:
2.750.000 km²
Grupos étnicos:
agartis (40%), caris (40%), tlavatlis (20%).
Capital:
Uqbar
População da capital:
600.000 habitantes

Bárria é uma república teoricamente vassala do Império de Agarta, mas na prática independente. Foi fundada em 2380 por agartis da casta gupta, de camponeses e artesãos que, rebelados contra a hierarquia sacerdotal, receberam a oportunidade de criar seu próprio Estado em troca da participação na guerra que levou à destruição final do Império Cari.

O coração do território é desértico e arenoso, mas as costas são férteis. As matas de Bárria contêm muitas espécies de plantas úteis na produção de resinas, perfumes, incenso e medicamentos e seu solo é rico em metais preciosos.

A religião é baseada no culto de Tehuti, o deus da luz.

Os barrianos têm uma respeitável marinha mercante e guerreira, capaz de disputar aos atlantes a hegemonia sobre o mar da Lemúria. Possuem muitos entrepostos, feitorias e pequenas colônias no litoral de Masté oriental e de Lemté e detém um quase monopólio do comércio entre essas regiões e o resto do mundo.