Guerra dos Mil Anos

De Crônicas de Atlântida - Wiki
Revisão de 23h45min de 23 de janeiro de 2010 por Ictoon (discussão | contribs)

A Guerra dos Mil Anos foi o conflito intermitente que opôs o Império Cari, ocasionalmente apoiado por aliados, ao Império Tlavatli, que na maior parte do tempo teve o apoio do Império Senzar. Considera-se, geralmente, que se estendeu de 6 aFA a 1295 dFA, ou seja, 1.301 anos, embora isso inclua vários períodos de trégua.

Seis anos antes do início da cronologia oficial atlante, em 6 aFA, subiu ao trono de Ki o Imperador Dagana, que dispondo de novas tecnologias de guerra naval, decidiu estender suas colônias pelo oceano. Rompeu a paz com o Império Tlavatli para invadir as ilhas de Daitya, Gopá e Rutá, que então lhe pertenciam. Ao que tudo indica, a conquista do já relativamente antigo "castelo das águas" tlavatli pelos primeiros acadianos que desembarcaram na ilha de Rutá é o ponto de origem da cronologia oficial da cidade de Atlântis.

Apesar de séculos de guerra intermitente, Dagana e seus sucessores não conseguiram dominar o núcleo do Império Tlavatli, que era o seu principal objetivo. Enquanto Tuté e os territórios fomoris caíram sob o domínio de Ki, os tlavatlis resistiram com sucesso, recebendo apoio do Império Senzar. Nem mesmo Asar, o mais poderoso dos imperadores caris, conseguiu submetê-los, embora depois de 800 dFA tenha reforçado sua marinha e transferido a capital de Ki para Mempi, para se concentrar nas operações navais. Em 1295 dFA, os imperadores caris renunciaram formalmente a conquistar Tlapalan e firmaram um acordo de paz perpétua.