Mudanças entre as edições de "Karmó"

De Crônicas de Atlântida - Wiki
 
(2 revisões intermediárias pelo mesmo usuário não estão sendo mostradas)
Linha 4: Linha 4:
 
Karmo deu da sua saliva e do seu leite e fez a cabeça e a mente, [[Tliká]] deu do sangue de seu braço e do sêmen e fez o peito, os braços, as pernas, o órgão sexual masculino e a vontade, [[Karmó]] deu do seu sangue menstrual, de suas secreções vaginais e de suas fezes e urina e fez a barriga, os órgãos sexuais femininos e o desejo. [[Muxan]] e [[Varjá]], encantados e divertidos com a criatura de seus netos, deram-lhe, respectivamente, a alma e o ânimo e fizeram dela um ser vivo, mas [[Raan]], temeroso e despeitado, matou Kadmon, cortando-o ao meio. [[Karmó]], indignada, suplicou por ajuda à mãe [[Tloí]], que intercedeu junto à avó [[Muxan]] e a [[Fontis]] e [[Kedlon]]. [[Muxan]] não podia, segundo a lei divina, desfazer o que Raan tinha feito, mas pôde ressuscitar as duas metades separadamente; [[Fontis]] concedeu à metade feminina ([[Nová]]) a fecundidade e [[Kedlon]] deu à masculina ([[Fogui]]) a fertilidade, dando origem aos ancestrais da espécie humana e dos atlantes.
 
Karmo deu da sua saliva e do seu leite e fez a cabeça e a mente, [[Tliká]] deu do sangue de seu braço e do sêmen e fez o peito, os braços, as pernas, o órgão sexual masculino e a vontade, [[Karmó]] deu do seu sangue menstrual, de suas secreções vaginais e de suas fezes e urina e fez a barriga, os órgãos sexuais femininos e o desejo. [[Muxan]] e [[Varjá]], encantados e divertidos com a criatura de seus netos, deram-lhe, respectivamente, a alma e o ânimo e fizeram dela um ser vivo, mas [[Raan]], temeroso e despeitado, matou Kadmon, cortando-o ao meio. [[Karmó]], indignada, suplicou por ajuda à mãe [[Tloí]], que intercedeu junto à avó [[Muxan]] e a [[Fontis]] e [[Kedlon]]. [[Muxan]] não podia, segundo a lei divina, desfazer o que Raan tinha feito, mas pôde ressuscitar as duas metades separadamente; [[Fontis]] concedeu à metade feminina ([[Nová]]) a fecundidade e [[Kedlon]] deu à masculina ([[Fogui]]) a fertilidade, dando origem aos ancestrais da espécie humana e dos atlantes.
  
São dedicados a Karmó o grande lago Karmosis, no noroeste de [[Atlântida]] e a ilha de Karmó, que fica no seu interior. Ali Karmó e seus irmãos teriam nascido e criado a humanidade, segundo o mito.
+
São dedicados a Karmó o grande lago [[Karmotor]], no noroeste de [[Atlântida]] e a ilha de Karmó (''Karmotis dau''), que fica no seu interior. Ali Karmó e seus irmãos teriam nascido e criado a humanidade, segundo o mito.
  
 
[[Category: Panteão]]
 
[[Category: Panteão]]

Edição atual tal como às 13h32min de 15 de junho de 2010

Karmo.jpg

Para os senzares, Karmó (Karmo, na grafia própria) é a deusa da astúcia, da previsão e da sabedoria, considerada a criadora do primeiro ser humano, o hermafrodita Kadmon, junto com o irmão e esposo Tliká e a irmã Kiném.

Karmo deu da sua saliva e do seu leite e fez a cabeça e a mente, Tliká deu do sangue de seu braço e do sêmen e fez o peito, os braços, as pernas, o órgão sexual masculino e a vontade, Karmó deu do seu sangue menstrual, de suas secreções vaginais e de suas fezes e urina e fez a barriga, os órgãos sexuais femininos e o desejo. Muxan e Varjá, encantados e divertidos com a criatura de seus netos, deram-lhe, respectivamente, a alma e o ânimo e fizeram dela um ser vivo, mas Raan, temeroso e despeitado, matou Kadmon, cortando-o ao meio. Karmó, indignada, suplicou por ajuda à mãe Tloí, que intercedeu junto à avó Muxan e a Fontis e Kedlon. Muxan não podia, segundo a lei divina, desfazer o que Raan tinha feito, mas pôde ressuscitar as duas metades separadamente; Fontis concedeu à metade feminina (Nová) a fecundidade e Kedlon deu à masculina (Fogui) a fertilidade, dando origem aos ancestrais da espécie humana e dos atlantes.

São dedicados a Karmó o grande lago Karmotor, no noroeste de Atlântida e a ilha de Karmó (Karmotis dau), que fica no seu interior. Ali Karmó e seus irmãos teriam nascido e criado a humanidade, segundo o mito.