Página principal

Atlântida

De Wiki - Crônicas de Atlântida

(Diferença entre revisões)
(Nova página: {{Reinos| | nome = Atlanté | outro_nome = Atlântida | capital = Atlântis | população = 100.000.000 | área = 1.100.000 | grupos ...)
Linha 39: Linha 39:
As montanhas culminam no monte Atlas, com 6.715 m de altitude, em cujas encostas nascem numerosos rios, caudalosos e encachoeirados, que só podem ser navegados poucos quilômetros antes de se aproximarem da grande planície ou do lago Tritônis (75.000 km², incluindo a ilha de Tritéia, com 5.000 km²), que se comunica através de um rio navegável com o sistema de canais da planície, que outrora foi um grande pântano. Grandes crocodilos e plesiossauros nadam nos canais e no lago, enquanto elefantes domesticados auxiliam o trabalho nos campos
As montanhas culminam no monte Atlas, com 6.715 m de altitude, em cujas encostas nascem numerosos rios, caudalosos e encachoeirados, que só podem ser navegados poucos quilômetros antes de se aproximarem da grande planície ou do lago Tritônis (75.000 km², incluindo a ilha de Tritéia, com 5.000 km²), que se comunica através de um rio navegável com o sistema de canais da planície, que outrora foi um grande pântano. Grandes crocodilos e plesiossauros nadam nos canais e no lago, enquanto elefantes domesticados auxiliam o trabalho nos campos
-
O reino de Atlântida governa através de governadores coloniais a ilha de Telema, a maior parte dos continentes de [[Masté]], [[Muté]] e '''Nemté''' e a colônia de '''[[Duaraka]]''', em [[Ralté]]. Exerce diretamente o protetorado sobre os reinos de Daitya, Kem e Kaldu. Considerando também seu poder sobre os demais reinos de [[Ruta]] e seus domínios ultramarinos, comanda uma esfera de influência que se estende por metade do planeta.
+
O reino de Atlântida governa através de governadores coloniais a maior parte dos continentes de [[Masté]], [[Muté]] e [[Nemté]] e a colônia de [[Duaraka]], em [[Ralté]]. Exerce diretamente o protetorado sobre os reinos de [[Daitya]], [[Kem]] e [[Kaldu]]. Considerando também seu poder sobre os demais reinos de [[Ruta]] e seus domínios ultramarinos, comanda uma esfera de influência que se estende por metade do planeta.
[[Category:Kisharografia]]
[[Category:Kisharografia]]

Edição de 02h19min de 25 de Julho de 2009

Atlanté
[[Imagem:{{{bandeira}}}|200px]]
Também conhecido como:
Atlântida
População:
100.000.000 habitantes
Área:
1.100.000 km²
Grupos étnicos:
senzares (50%), tlavatlis (30%), caris (10%) e outros (10%).
Capital:
População da capital:
6.000.000 habitantes

Atlanté em senzar, Atlântida em acaio, é o maior reino da ilha de Ruta.

O atual e 59º Vatar, rei-sacerdote herdeiro de uma dinastia milenar, exerce um poder quase absoluto sobre a capital, Atlântis, e as forças armadas, mas as comunidades do interior governam-se com relativa autonomia sob um regime razoavelmente democrático. Há cerca de mil municípios autônomos no interior (600 dos quais na planície), cujas sedes são vilas ou pequenas cidades de cinco mil a 50 mil habitantes e cada um deles divide-se em dezenas de distritos rurais que também têm autonomia em relação a assuntos locais, num total de mais de 100 mil. A planície tem uma população total de 64 milhões de habitantes.

Cada um dos municípios da planície é um quadrilátero aproximadamente regular de vinte quilômetros de lado, separado dos vizinhos por canais navegáveis de trinta metros de largura. Os costumes, as festas, os cultos religiosos e a língua variam de um para outro. Na maior parte, são intensivamente cultivados, mas também incluem bosques, vilas e pastagens.

Os senzares são mais numerosos na capital e na planície e os tlavatlis nas montanhas; os caris concentram-se na capital e nos portos comerciais. A elite governante é predominantemente senzar, mas oficialmente não há discriminação entre súditos de diferentes grupos étnicos. Crianças do povo, em princípio de qualquer origem, podem ser recrutadas para a classe superior se mostrarem atributos adequados – saúde, beleza física, inteligência e poderes mentais, principalmente clarividência.

Os atlantes são temidos por seu poderio mágico e militar, graças ao qual governam metade do mundo. São um povo orgulhoso, vaidoso e até egocêntrico.

Todo o território é elevado e domina sobranceiro ao mar. Mas o terreno circundante à capital é plano. Esta planície rodeia a cidade, e esta é cercada de montanhas que se prolongavam até o mar. É plana, de nível uniforme e oblonga no conjunto; seus lados medem seiscentos quilômetros, e quatrocentos quilômetros, pelo meio, a partir do mar.

Esta região, em toda a ilha, está orientada com a face para o Sul, e ao abrigo dos ventos do Norte. As montanhas que a rodeiam ultrapassam em beleza quaisquer outras deste mundo. Há nessas montanhas numerosas cidades, ricas em habitantes, rios, lagos, prados capazes de alimentar inumeráveis bestas selvagens ou animais domésticos, florestas em tão grande número e essências tão variadas que dão em abundância materiais próprios para todos os trabalhos possíveis.

Esta planície, pela ação da natureza e pela obra de muitos reis, durante período muito dilatado, foi transformada como se segue. Tem a forma de um quadrilátero, alongado e de lados quase retilíneos. Onde os lados se afastavam da linha reta, foi corrigida esta irregularidade, cavando-se o fosso contínuo que rodeia a planície.

A profundidade, largura e desenvolvimento deste fosso são difíceis de crer. É difícil acreditar que uma obra saída das mãos do homem tenha tido, por comparação aos outros trabalhos desse gênero, tais dimensões. Foi cavado com trinta metros de profundidade e sua largura é constante, de duzentos metros. Como é cavado em torno de toda a planície, seu comprimento é de dois mil quilômetros. Recebe os cursos d'água que descem das montanhas, faz a volta à planície, retorna de um e de outro lado para a cidade, e de lá, esvazia-se no mar.

Da parte mais alta desse fosso, canais retilíneos, com a largura aproximada de trinta metros, cortavam a planície, indo juntar-se ao fosso, perto do mar. Cada um deles dista dos outros vinte quilômetros. Para carregar para a cidade a madeira da montanha, e para levar, de barco, os outros produtos de estação, cavaram-se, a partir dos canais, derivações navegáveis, de direção oblíqua umas em relação às outras e em relação à cidade.

Os habitantes recolhem duas vezes por ano os produtos da terra: no inverno, utilizam as águas do céu; no verão, as que a terra dá, dirigindo sua corrente para fora dos canais.

No tocante aos homens da planície aptos para a guerra, foi fixado que cada distrito fornece um chefe de destacamento. O tamanho do distrito é de dois quilômetros por dois e há, no total, sessenta mil. Quanto aos habitantes das montanhas e do resto do país, são em número imenso, e todos, segundo suas localizações e as cidades, são repartidos entre os distritos e sob o comando de seus chefes.

Cada chefe de destacamento fornece para a guerra um sexto dos carros de combate, somando dez mil carros; dois cavalos e seus cavaleiros, ou uma parelha de cavalos sem carro, comportando um combatente montado encarregado de conduzir os dois cavalos, dois hoplitas; dois arqueiros; dois fundibulários; três infantes ligeiros armados de atiradeiras; três outros armados de dardos, e enfim, quatro marinheiros, para completar a equipagem de mil e duzentos navios.

A planície, portanto, contribui para as Forças Armadas de Atlântida com 120 mil cavalos e 840 mil soldados, além de 240 mil marinheiros. Somando as tropas fornecidas pelas montanhas e pela capital, o exército atlante totaliza 200 mil cavalos, 1,4 milhão de soldados e 400 mil marinheiros.

Atlântis e a planície que a rodeia são terras de clima moderadamente quente e seco, chuvoso no inverno, comparável ao do interior paulista ou do planalto central brasileiro: a temperatura média é de 22° C, sobe a 29°C no verão, cai a 15°C no inverno e não neva. Nas montanhas, o clima é mais frio e em altitudes acima de 1.500 metros e neva abundantemente no inverno. O degelo, no início da primavera, provoca uma forte cheia dos rios que abastecem os canais. Estes alagam parcialmente, irrigam e fertilizam grande parte dos campos cultiváveis, como ocorria no antigo Egito às margens do Nilo.

As montanhas culminam no monte Atlas, com 6.715 m de altitude, em cujas encostas nascem numerosos rios, caudalosos e encachoeirados, que só podem ser navegados poucos quilômetros antes de se aproximarem da grande planície ou do lago Tritônis (75.000 km², incluindo a ilha de Tritéia, com 5.000 km²), que se comunica através de um rio navegável com o sistema de canais da planície, que outrora foi um grande pântano. Grandes crocodilos e plesiossauros nadam nos canais e no lago, enquanto elefantes domesticados auxiliam o trabalho nos campos

O reino de Atlântida governa através de governadores coloniais a maior parte dos continentes de Masté, Muté e Nemté e a colônia de Duaraka, em Ralté. Exerce diretamente o protetorado sobre os reinos de Daitya, Kem e Kaldu. Considerando também seu poder sobre os demais reinos de Ruta e seus domínios ultramarinos, comanda uma esfera de influência que se estende por metade do planeta.

Ferramentas pessoais
TOOLBOX
LANGUAGES
Acessos